invista em startups
Captação Ideal Engenharia
Captação Ossopim
CVM

Coronavírus: CVM alerta para possível adoção de plano de contingência

O órgão regulador do mercado de capitais pede que intermediários como as corretoras de valores mobiliários preparem um plano de contingência.

16/03/2020 06h32
Por: Leonardo Brum
Fonte: 6 Minutos
183

Diante do estresse no mercado financeiro em função do coronavírus, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) divulgou um comunicado ao mercado alertando que o volume de operações tende a crescer e pode superar a capacidade suportada pela atual estrutura de tecnologia da informação do intermediário atuante no mercado de capitais.

O órgão regulador do mercado de capitais pede que intermediários como as corretoras de valores mobiliários preparem um plano de contingência, já que a crise pode levar à realização de operações por telefone ou aumento no número de intermediários trabalhando remotamente.

Qual a orientação? Em um ofício, a CVM traz orientações para esses participantes e pede que estejam preparados para eventos de risco. O plano de contingência deve contemplar alternativas para que continuem prestando seus serviços adequadamente, afirma a autarquia.

“Essa ação deve ser discutida e aprovada pela alta administração do intermediário, comunicado aos funcionários e prever a forma, conteúdo e timing de eventual comunicação aos clientes e público em geral”, diz o comunicado

Qual o objetivo? Segundo Francisco José Bastos Santos, Superintendente de Relações com o Mercado e Intermediários, o objetivo da área técnica da CVM é destacar a necessidade de atuação preventiva desses regulados, a fim de garantir o melhor interesse do cliente para a execução de ordens por ele comandadas.

“O primeiro passo importantíssimo do intermediário diante desse cenário de possível estresse decorrente do Coronavírus é não improvisar e ter já desenvolvido e disseminado internamente um plano de contingência adequado para a situação. Adicionalmente, é fundamental, caso esse tipo de cenário se materialize, uma comunicação direta e simples com seu cliente, informando-o com clareza sobre possíveis impactos nos serviços oferecidos, como atuará nessa situação e se mostrar disponível e acessível para qualquer necessidade”, diz Bastos.

Independentemente do tipo de atendimento a ser implementado por meio do plano de contingência, o superintendente destaca que o essencial é manter tranquila, contínua, clara e segura a interação com seus clientes, bem como treinar suas equipes de trabalho para assegurar a qualidade no nível de serviço prestado, mesmo diante da situação de estresse causada pelo Coronavírus.