invista em startups
Captação Ossopim
Captação Ideal Engenharia
Cripto

Louis Vuitton registra serviço de criptomoeda no Brasil

Em março de 2019, foi noticiado que a Louis Vuitton (LV) estava planejando uma rede blockchain para provar a autenticidade de seus produtos de luxo, chamada Aura.

25/03/2020 06h47
Por: Leonardo Brum
Fonte: Criptofacil
168

Em março de 2019, foi noticiado que a Louis Vuitton (LV) estava planejando uma rede blockchain para provar a autenticidade de seus produtos de luxo, chamada Aura.

Uma publicação feita na edição do dia 24 de março da Revista da Propriedade Industrial (RPI) diz respeito a um registro feito por Christèle Perrot, representante do conglomerado LVMH – do qual a Louis Vuitton faz parte -, sob o nome de Aura. O registro diz respeito à criação de criptomoedas e serviços financeiros no ramo de criptoativos.

LV planeja entrar no mundo dos criptoativos

Tendo em vista os planos de já possuir uma blockchain, é apenas um pequeno pulo para que o conglomerado LVMH comece a emitir seu próprio criptoativo. Na breve descrição do produto feita no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) por Christèle Perrot, alguns detalhes são dados sobre a iniciativa:

“SERVIÇOS MONETÁRIOS E FINANCEIROS NA ÁREA DE CRIPTOMOEDAS; PROCESSAMENTO DE PAGAMENTOS POR CARTÃO DE CRÉDITO OU OUTROS PROCESSOS; SERVIÇOS DE CÂMBIO DE CRIPTOMOEDAS DESENVOLVIDOS PARA NEGÓCIOS GLOBAIS; SERVIÇOS DE PAGAMENTO POR CRIPTOMOEDAS; CRIAÇÃO DE CRIPTOMOEDAS; SERVIÇOS PRESTADOS POR ASSOCIAÇÕES OU FUNDAÇÕES, A SABER, RECOLHIMENTO DE DOAÇÕES MONETÁRIAS PARA TERCEIROS, AUXÍLIO FINANCEIRO E PATROCÍNIO.”

O pedido é uma republicação, uma vez que “os dados relativos ao depósito no país de origem foram omitidos no momento da reivindicação de prioridade unionista”, segundo a procuradora do pedido BM&A Propriedade Intelectual Ltda.

Em agosto de 2019, surgiram boatos de que Bernard Arnault, CEO da LVMH, estaria considerando lançar uma empresa na Bélgica para lançar criptoativos. Porém, Arnault negou os boatos e aproveitou a ocasião para se mostrar positivo sobre a tecnologia blockchain.

Por meio do registro, e tendo em vista que o mesmo registro foi feito na França, é possível verificar que a Louis Vuitton pode estar em um plano de criação de um criptoativo próprio – além de um sistema próprio de pagamento com criptoativos.

Não é só a LV que pretende lançar sua própria criptomoeda. Em abril de 2019, a Nike também registrou – mas nos Estados Unidos – a marca CryptoKicks, indicando que a gigante do ramo de roupas pode estar com planos de criar um ecossistema baseado em um token.