invista em startups
Captação Ossopim
Captação Ideal Engenharia
Negócios

5 etapas que todo empreendedor precisa seguir antes de reconstruir sua empresa na era pós-coronavírus

O processo de reconstrução profissional que muitos de nós devemos passar não é tão simples e exige esforços mentais e profissionais

15/06/2020 07h08
Por: Leonardo Brum
Fonte: Forbes
312
O processo de reconstrução profissional que muitos de nós devemos passar não é tão simples e exige esforços mentais e profissionais
O processo de reconstrução profissional que muitos de nós devemos passar não é tão simples e exige esforços mentais e profissionais

 

Os últimos relatórios sobre mercado de trabalho nos EUA apresentam uma imagem cautelosamente otimista. Após muitas demissões induzidas pela pandemia, os empregadores têm chamado milhões de trabalhadores de volta ao trabalho. Mas, embora a taxa de desemprego tenha caído de 14,7% em abril para os atuais 13,3%, dezenas de milhões continuam sem trabalho, e as perdas excederam em muito a da Grande Recessão.

Acontecimentos recentes interromperam o cenário de negócios como conhecemos. Uma interrupção desse calibre requer soluções; em muitos casos, uma transformação operacional ou pessoal completa.

Mudar de direção e abrir mão de algo em que estávamos tão investidos é bastante difícil.

“Tais perdas, principalmente quando relacionadas a investimentos psicológicos ou financeiros de longo prazo, são frequentemente associadas a sentimentos negativos, como raiva e baixo astral”, diz o professor Guy Doron, psicólogo clínico e pesquisador sênior do Centro Interdisciplinar Herzliya, e cofundador da GG Life, uma ferramenta digital personalizada de saúde mental. “Essas reações são naturais e frequentemente associadas a processos saudáveis ​​de luto. Após o choque inicial, é hora de reavaliar e iniciar o processo de reconstrução.”

Gali Bloch Liran, coach de desempenho para empreendedores e consultora de startups, acrescenta que “não é fácil deixar de lado uma ideia que você teve de si mesmo e do seu trabalho, especialmente depois de se dedicar muito. Mas, às vezes, a coisa certa a fazer é pausar, respirar, reavaliar seus negócios e seus sonhos e, em seguida, fazer um novo plano que inclua novas direções criativas. Aceitar a mudança é um estado de espírito que todos temos que abraçar e aceitar em nossas vidas”, diz ela. “A maior lição que todos aprendemos com a crise do coronavírus é uma que os empreendedores conhecem muito bem: todos precisamos aprender a viver com a incerteza. A mudança exige a capacidade de ser flexível.”

O processo de reconstrução que muitos de nós devemos passar não é tão simples e exige esforços mentais e profissionais.

Desapegue

Depois de anos desenvolvendo fortes crenças sobre quem somos profissionalmente e a forma como trabalhamos; depois de criar e implementar uma estratégia adequada ao mercado em que operamos, veio a pandemia e nos abalou profundamente. “Essa nova realidade nos tirou da nossa zona de conforto e, em muitos casos, desafiou a maneira como encaramos a nós mesmos, aos outros e ao mundo”, diz o professor Doron. “Tais mudanças são frequentemente associadas a um aumento do sentimento de ameaça e ansiedade. Eles reduzem nossos recursos cognitivos e influenciam nossa avaliação de desafios futuros, fazendo com que pareçam mais ameaçadores.”

Bloch argumenta que desistir não significa que tudo está perdido e não há alternativa para começar de novo: “Existe um ditado que diz ‘sem passado, não há futuro’”, e, de fato, é muito importante aprender com nossas experiências passadas. No entanto, ficar preso no passado não nos ajudará a seguir em frente. Temos que viver aqui e agora e nos adaptarmos”. Abrir mão de nossos objetivos muito recentes não significa que precisamos abrir mão de nosso sonho. Precisamos apenas deixar o caminho que pavimentamos em direção a ele e criar um novo. “Não há problema em manter o passado por um certo período de tempo. Seja gentil consigo mesmo, mapeie seus medos e crenças negativas e concentre-se no que você pode fazer. Você descobrirá que tem muitos pontos fortes e ativos em que se apoiar.”

Analise a realidade

Antes de abandonar nosso plano de trabalho inicial, precisamos ter uma imagem clara das novas realidades. “Observe o diálogo consigo mesmo e como seus pensamentos afetam seus sentimentos e ações”, sugere o professor Doron. “Tente diferenciar seus pensamentos, medos ou teorias dos fatos reais. Em tempos de ameaça e incerteza, tendemos a ser muito mais negativos em nossas interpretações da realidade.”

Bloch recomenda que “comecemos mapeando a situação de maneira objetiva. Veja o conceito, finanças, produtos, tecnologia, operações etc. Coloque tudo no papel. Em seguida, coloque tudo em uma planilha. Adicione números ou suposições. O texto refletirá seus sentimentos e paixões, os números refletirão a realidade e as restrições. Então, você pode tomar decisões inteligentes combinando todos os fatores.” Segundo o especialista, dessa forma, podemos reconhecer os pontos cegos e entender melhor nossa posição atual.

Faça perguntas

“A pesquisa sugere que um dos preditores mais fortes de resiliência é buscar apoio social em momentos de necessidade”, diz Doron. Ele recomenda a consulta e a confidencialidade com as pessoas em quem você confia. “É particularmente importante destacar essa informação: todos nós precisamos de ajuda hoje em dia, mais do que nunca. Não há vergonha em consultar pessoas que podem nos ajudar a lidar, ser proativos e ter diferentes visões. Às vezes, precisamos de alguém para nos ajudar a chegar a lugares mais altos, onde a visão é mais clara”. Certifique-se de estar cercado pelas pessoas certas, que querem que você seja bem-sucedido, apreciem e ajudem você, e não aqueles que são ciumentas, cínicas, que drenam a energia, ou acham difícil dizer algo agradável.

Faça reuniões em vídeo com colegas ou amigos. Quando você fala sobre isso, as pessoas se abrem e você verá que não está sozinho. Além disso, algumas ideias e iniciativas muito boas podem vir de conversas. Não tenha medo de se conectar com as pessoas. Isso o fará se sentir vivo e significativo, e as rodas começarão a girar.

Tenha capacidade de aprendizagem

Dizem que o que nos define é a rapidez com que acordamos depois de uma queda. Todos sabemos que esses são tempos de resiliência. Basicamente, é hora de melhorar sua capacidade de aprender. Se você é um empreendedor, a resiliência provavelmente está no seu DNA. Você corre riscos, sabe o que significa trabalhar com a incerteza e, na prática, nunca jogou pelo seguro. “A capacidade de aprendizado é a habilidade mais importante hoje em dia”, insiste Bloch. “Diga a si mesmo todas as maneiras pelas quais você é talentoso e aproveite esses pontos fortes e ativos pessoais. Acredito que o fortalecimento da resiliência de uma startup é o fator número um que garante seu sucesso e crescimento.”

Mude sua perspectiva

O vírus pode ter prejudicado seriamente a sua empresa, mas também pode se tornar um catalisador de crescimento e progresso. “As mudanças nunca são fáceis, mas a cada transformação, há uma oportunidade de crescimento e novos começos”, conclui Bloch, oferecendo uma nova perspectiva que pode nos levar a tomar ações melhores. “Não deixe seu sonho de lado –mova-se. Uma loja pode se transformar em um serviço online; um restaurante pode oferecer serviços de catering, um novo serviço pode se tornar um SaaS. Nesse sentido, acho que todos devemos abraçar a agilidade e a flexibilidade das startups, pensar e agir de maneira enxuta e nos reinventar conforme a realidade o exigir. Você ficará surpreso com as habilidades que descobrirá exatamente em momentos como este.”