invista em startups
Captação Ideal Engenharia
Captação Ossopim
Aquisição

Engie e CDPQ acertam compra de fatia de 10% da Petrobras na TAG por R$ 1 bi

A nova aquisição dá sequência a um negócio anterior, realizado pelas mesmas companhias em junho de 2019.

22/07/2020 07h00
Por: Leonardo Brum
Fonte: Forbes
299
A francesa Engie informou a aquisição de fatia acionária remanescente de 10% da Petrobras na Transportadora Associada de Gás S.A. (TAG)
A francesa Engie informou a aquisição de fatia acionária remanescente de 10% da Petrobras na Transportadora Associada de Gás S.A. (TAG)

 

A francesa Engie informou ontem (20) a aquisição de fatia acionária remanescente de 10% da Petrobras na Transportadora Associada de Gás S.A. (TAG), em um lance conjunto com a Caisse de dépôt et placement du Québec (CDPQ) de cerca de R$ 1 bilhão.

A Petrobras detalhou que o valor inicial da transação era de R$ 1,1 bilhão, porém foi considerado um desconto de R$ 110 milhões já recebidos em junho a título de dividendos e os demais ajustes previstos em contrato.

Desta forma, a transação foi concluída pelo valor de R$ 1 bilhão, integralmente quitado ontem, disse a Petrobras em fato relevante.

Com essa aquisição, a participação acionária total da Engie na TAG aumenta para 65% (dos quais 32,5% pertencem à Engie Brasil Energia), enquanto a CDPQ detém os demais 35%.

A compra foi realizada de maneira proporcional aos acionistas da TAG, sendo 3,25% adquiridos pela Engie, 3,25% pela GDF International, uma subsidiária da Engie, e 3,5% pela CDPQ.

A nova aquisição dá sequência a um negócio anterior, realizado pelas mesmas companhias em junho de 2019.

No entanto, a Petrobras destacou que ao comparar o valor desta operação com o valor da alienação de 90% da TAG ocorrida no ano passado, é necessário considerar que a dívida da TAG aumentou de R$ 2 bilhões para R$ 23 bilhões.

Esta elevação no endividamento gerou um pagamento de R$ 2 bilhões em favor da Petrobras, já considerado no montante total divulgado no fechamento da venda da participação de 90%, conforme balanço do terceiro trimestre de 2019.

Para a petroleira, a presente transação representa mais um importante marco para a abertura do setor de gás natural no Brasil.

“Com ela a Petrobras atende, com 18 meses de antecedência, a um dos compromissos assumidos no âmbito do Termo de Cessação de Conduta celebrado com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) em 08/07/2019”, disse a estatal.

A TAG possui a mais extensa malha de transporte de gás natural do Brasil, com uma infraestrutura de gasodutos de aproximadamente 4.500 km, localizada ao longo de parte do litoral Sudeste e do litoral Nordeste do país, além de um trecho que liga Urucu a Manaus (AM), na região Norte.

A rede possui, ainda, 11 estações de compressão de gás, 14 pontos de recebimento e 90 pontos de entrega, e, de acordo com a Engie, conta com potencial para novos desenvolvimentos, tais como expansão da rede, novas conexões de agentes, projetos de armazenagem de gás e transporte de biogás.

“A aquisição dos 10% remanescentes da TAG demonstra nossa confiança no Brasil e está alinhada com nossas metas estratégicas de crescimento em renováveis, ativos de infraestrutura e soluções para cidades, empresas e territórios”, acrescentou o CEO da Engie Brasil, Mauricio Bähr. (Com Reuters)