Captação Ideal Engenharia
invista em startups
Mktg

4 dicas de Bianca Andrade para fazer marketing digital de sucesso

Blogueira, atriz, youtuber, maquiadora, empresária e Under 30 2017, Bianca ainda guarda espaço para muitos sonhos

14/09/2020 06h59
Por: Leonardo Brum
Fonte: Forbes
314
Blogueira, atriz, youtuber, maquiadora, empresária e Under 30 2017, Bianca ainda guarda espaço para muitos sonhos
Blogueira, atriz, youtuber, maquiadora, empresária e Under 30 2017, Bianca ainda guarda espaço para muitos sonhos

 

A empresária e influenciadora Bianca Andrade apareceu com roupas e unhas em tons de roxo na entrevista ao vivo que deu ontem (10) no canal Forbes Mulher, no Instagram. A combinação impecável, porém, não revela só vaidade e não é mais um look do dia. É ali mesmo, no visual, que a celebridade, também conhecida como Boca Rosa, mostra o motivo de ser um nome tão forte no marketing digital, assunto sobre o qual tratou com maestria durante a conversa.

A verdade é que os tons de roxo fazem parte de uma mensagem sobre sua personalidade. Quase sempre monocromática, Bianca decidiu que era hora de trabalhar com as cores quando colocou no ar o programa “Boca a Boca”, no Youtube –onde arrebanha mais de seis milhões de seguidores; no Instagram a conta passa dos 12 milhões. Na primeira temporada, tudo era meio a meio: rosa representava seu lado emocional, “aquela que erra, chora, se desculpa. Meu lado humano e meio louca”, como descreveu. Já o azul, o lado “girlboss”, fazia referência à mulher de negócios movida pela razão. Roupas, cenários e maquiagens honravam esses dois opostos.

O motivo de tudo isso? Ambos os lados a representam, em suas palavras. E era isso que ela queria mostrar para seu novo público, união entre seguidores antigos e aqueles que conquistou durante o “Big Brother Brasil 20”, do qual fez parte. Quase como uma psicologia das cores, a sacada foi um sucesso, suscitando dúvidas sobre como inovar na proposta seguinte, já que a ideia era ter um conceito diferente a cada temporada, para não cansar visualmente. “Até que alguém me falou: ‘vai para o meio’. E qual o meio entre o rosa e o azul? O roxo”, conta. Simbolizando a cor do equilíbrio entre suas personalidades, é nessa paleta de cores que Bianca se apresenta agora –ou pelo menos por um tempo.

A questão é que ousar e mergulhar em seus projetos faz parte da carreira da influenciadora desde o início. Nascida em uma comunidade no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, ela começou a produzir conteúdo para internet aos 16 anos e destaca nunca ter duvidado de seu potencial para alcançar o que queria. “Eu via a Beyoncé e falava: como a Beyoncé virou a Beyoncé? Eu quero também. Então eu sempre fui sonhadora, nunca tive limites”, relembra.

Foi no seu quarto, com algumas maquiagens, que começou a gravar os vídeos que resultaram em todo seu sucesso atual. Ela diz ter se surpreendido recentemente ao perceber que sempre teve um pensamento voltado ao marketing, mesmo sem qualquer noção disso na época. “No colégio eu era chamada de ‘a maluca da boca rosa’, porque usava muitos batons nesse tom e sempre gostei de chamar atenção”. E foi exatamente desse apelido escolar que ela tirou a ideia para criar o nome do seu blog, Boca Rosa, hoje uma grande marca pessoal e mercadológica com as coleções de maquiagem Boca Rosa Beauty. “Nunca pensei que isso ia pegar no nível das pessoas perguntarem se me chamam de Bianca ou de Boca Rosa”, brinca.

Mais do que curiosos, esses questionamentos revelam a força da sua marca e carregam um grande aprendizado de marketing e empreendedorismo atual. “Empreender e gerar conteúdo é uma ótima união”, destaca. Principalmente em um mundo cada vez mais mergulhado nas mídias sociais, estampar um rosto e uma personalidade em produtos pode ser uma ótima abordagem. No entanto, tudo tem seus riscos. “Antes, quando eu era o rosto para outras marcas, isso não era tão intenso, agora é. Eu desenvolvo cada produto como se fosse um filho”, revela. Isso porque sua figura pública está ligada à marca e, a qualquer sinal de problema, ela tem muito mais a perder do que só dinheiro.

Mesmo assim, o gosto de se reinventar se sobressai, e Bianca ressalta o quanto a busca pela novidade é essencial principalmente no cenário pandêmico atual. Ela conta que, ao ser eliminada do reality show, teve poucas semanas de liberdade até que outra quarentena começasse, dessa vez para conter a disseminação do coronavírus. Com isso, todos seus planos mudaram. “Pontos de venda são uma força muito grande para minha marca. Temos embalagens bonitas, perfeitas para prateleiras. E o pessoal estava com consumo 100% online, então eu precisava criar conteúdo digital.”

Em lives com marcas parceiras como Renner e Sephora, ela começou a entregar entretenimento relacionado a vendas, investindo no e-commerce como a melhor forma de não perder para a crise. “A gente tem a internet como nosso aliado, o consumo mudou e não podemos esquecer isso.”

Se hoje Bianca dá dicas de marketing e empreendedorismo, boa parte desse sucesso pertence àquela “menina do Complexo da Maré que nunca deixou de sonhar”, cita com orgulho. Blogueira, atriz, youtuber, maquiadora, empresária e Under 30 2017, ainda há espaço para mais desejos. O atual, “colocar meus produtos na mesma prateleira que a marca da Rihanna, Fenty Beauty, e da Kylie Jenner”.

Com sua visão de persistência, talvez seja apenas questão de tempo até que isso aconteça.

Aprenda a lidar com o buzz marketing

Um de seus sonhos de Bianca é ter sua marca de maquiagem na mesma prateleira que a da Kylie Jenner. Ou seja, não é de se espantar que a família Kardashian-Jenner represente uma grande inspiração para a empresária. “Em 2018, eu estava meio perdida. Tinha me afastado do YouTube, sabia que queria fazer algo novo, mas não sabia o quê. Até que comecei a estudar o modelo de negócio das Kardashians, principalmente da Kylie: o buzz marketing”, relembra.

Essa poderosa ferramenta nada mais é do que uma estratégia focada em fazer com que as pessoas comentem sobre alguma marca ou empresa, gerando um “burburinho”, cujo objetivo é desencadear um aumento no número de vendas. Ligada a muitas polêmicas na internet, Bianca teve um insight de que poderia utilizar isso a seu favor. “Eu percebi que as Kardashians estão sempre na polêmica, mas sempre rendem com isso. Pensei que era só usar isso com inteligência.”

Mais uma vez, colocar a estratégia em prática depende de ousadia e reinvenção. “Antes eu tinha muito medo e me fechava um pouco. Isso para quem trabalha na internet é muito ruim. Quanto menos você tenta esconder, mais você cativa a verdade do seu público. Então, agora, eu sempre me posiciono e dou a volta por cima. Sempre que aparece uma polêmica, pensamos em fazer do limão uma limonada.”

No entanto, ela destaca que há outras formas de fazer buzz marketing além do viés de polêmicas. Se o importante é ser falado, isso pode acontecer por iniciativas da marca, publicidades que viralizam e até press kits. “Se todos estiverem vendo aquele press kit diferenciado nas redes sociais, é muito mais fácil para estourar em vendas”. Ela mesma coloca isso em prática, enviando a recipientes especiais malas douradas e maletas de maquiagem repletas de produtos, por exemplo.

Storytelling é muito importante

Bianca Andrade revela não gostar muito de séries televisivas, mas foi através delas que aprendeu algo valioso para o marketing: o storytelling. “Pensei: se as séries da Netflix e da Amazon prendem tanto, será que não dá para fazer isso com meus produtos também?”. Foi aí que começou a ‘fazer mistério”, com postagens estratégicas e planejamentos grandiosos como a colorimetria rosa e azul do seu programa “Boca a Boca”.

“Comecei a fazer mistério, criar burburinho”, estratégia perfeita para alcançar o buzz marketing. “Vamos supor que você vá lançar uma música. Aí você entra em um ciclo de postar e apagar uma foto repetidas vezes. As pessoas começam a perceber e indagar. E, de repente, você lança uma música chamada ‘Arrependida’. A galera pira. Tem muita relação”, esquematiza brincando que deveria ser da área musical.

Seja apaixonado pela sua marca

Bianca é apaixonada por documentários e histórias de vida. “Já vi da Hebe, Taylor Swift, Lady Gaga, Demi Lovato, Anitta… eu amo ver como as pessoas conseguiram superar seus desafios”. Isso é logicamente um ótimo entretenimento, porém, por que admirar apenas trajetórias alheias e não as suas?

A influenciadora ressalta a importância de também ser apaixonado pela sua própria marca. Consumi-la para que ela não consuma a você, esse é o segredo para “não se cansar de fazer aquilo e se empolgar constantemente”. Durante o “Big Brother Brasil”, a então participante utilizava as maquiagens de sua marca no dia a dia, realizando uma publicidade constante em rede nacional. Isso fez com que seus produtos se tornassem mais falados, virando até meme nas redes sociais por conta da ótima durabilidade em meio às crises de choro que ocorreram no programa.

Não tenha vergonha de vender a si mesmo

“Tudo na vida é venda”, destaca a empresária. Ela relembra uma época em que era difícil vender seus próprios conteúdos e produtos. A vergonha, o receio e o medo eram maiores. Porém, assistindo a palestras sobre o assunto, aprendeu que é tudo questão de ressignificar. “Só o fato de você se comunicar com alguém já pode representar uma venda, então, eu pensei: poxa, eu tenho que fazer isso com meus produtos. Eu preciso fazer isso para que meu negócio cresça e influencie outras pessoas”. Vestida toda de roxo para a Live da Forbes Mulher, Bianca tem estampado em seu visual o exemplo do que é se vender por inteiro para um projeto.