Captação Ideal Engenharia
invista em startups
Gás

Distribuidoras de gás natural do NE se reúnem para contratar novos supridores

"Optamos por abrir essa chamada porque há muita expectativa no setor de gás de que os preços sejam melhores e mais competitivos, devido ao novo marco legal, e muitas empresas têm manifestado interesse em suprir nossa demanda", disse.

17/09/2020 06h42
Por: Leonardo Brum
Fonte: Reuters
265

 

Diante dos recentes movimentos de abertura do gás natural à competição e à entrada de novos fornecedores da molécula, distribuidoras de cinco Estados do Nordeste lançarão na quinta-feira, 16, chamadas públicas para contratar 2,406 milhões metros cúbicos por dia (m?/d) de gás de novos supridores. Fazem parte da iniciativa as concessionárias Copergás (PE), Algás (AL), Cegás (CE), Potigás (RN) e Sergás (SE), que esperam obter preços mais vantajosos em relação ao que é praticado atualmente pela Petrobras (SA:PETR4).

Essa não é a primeira vez que as distribuidoras nordestinas se reúnem para contratar a molécula de gás de forma conjunta. Em 2019, as concessionárias já haviam organizado uma chamada pública, mas o processo não conseguiu cumprir o objetivo de atrair novos supridores de gás para a região em razão das incertezas relacionadas às mudanças na legislação do setor.

"Agora, vivemos um momento diferente e esperamos que isso se concretize nas ofertas que forem colocadas pelos proponentes", disse o presidente da Copergás, Fabrício Bomtempo, em referência à aprovação do projeto de lei (PL) nº 6407/2013 na Câmara dos Deputados recentemente. Segundo o executivo, a expectativa é que, com a liberação do acesso à infraestrutura de transporte por terceiros, mais competidores apareçam na chamada pública, reduzindo o preço pago atualmente.

"Optamos por abrir essa chamada porque há muita expectativa no setor de gás de que os preços sejam melhores e mais competitivos, devido ao novo marco legal, e muitas empresas têm manifestado interesse em suprir nossa demanda", disse.

Bomtempo afirmou que a intenção das distribuidoras é que as chamadas públicas sejam frequentes a partir de agora, e que aconteçam ao menos uma vez por ano. Isso porque que o contrato atual com a Petrobras prevê uma redução progressiva nos volumes contratados entre 2022, quando se iniciam os suprimentos dos contratos a serem firmados nesta chamada pública, até 2024.

De acordo com o executivo, nesta chamada pública, cada distribuidora terá sua própria dinâmica de contratação, e o prazo médio de suprimento varia entre dois e cinco anos, e que não haverá o estabelecimento de preço mínimo ou máximo. "Depende do proponente que vai colocar proposta. O que faremos é comparar com o que temos hoje, e, se for algo mais competitivo, vamos em frente. Se não for, vamos continuar com o supridor atual", explicou.

O prazo da chamada pública também varia por concessionária. Na Copergás, ele se inicia amanhã e termina em outubro. Contudo, algumas distribuidoras aceitarão proposta até janeiro de 2021, por exemplo. Dos 2,406 milhões de m?/d, a Copergás pretende contratar até 1 milhão de m?/d, a Potigás, até 236 mil m?/d, a Cegás, até 600 mil m?/d, a Algás, até 270 mil m?/d e a Sergás, 300 mil m?/d.

O presidente da distribuidora pernambucana comentou que a empresa tem interesse em contratar biogás e Gás Natural Liquefeito (GNL) na sua chamada pública - no caso do supridor de GNL, esse agente terá que manter a infraestrutura de regaseificação para entrega do produto. "Temos todo interesse em ter biogás no nosso portfólio", acrescentou.