Captação Ideal Engenharia
invista em startups
Mktg

Conheça a história do marketing

Philip Kotler, considerado criador do marketing moderno, durante palestra em Londres em 2008

13/10/2020 06h57
Por: Leonardo Brum
Fonte: Forbes
323
Philip Kotler, considerado criador do marketing moderno, durante palestra em Londres em 2008
Philip Kotler, considerado criador do marketing moderno, durante palestra em Londres em 2008

 

“O primeiro registro da palavra ‘marketing’ é atribuído a um livro americano de 1922, que tratava da distribuição de alimentos”, afirma Marcelo Boschi, coordenador de marketing estratégico da ESPM Rio. O conceito dessa técnica/ciência é uma herança da Revolução Industrial (entre os séculos 18 e 19). É sabido, porém, que a prática existe, em suas formas mais primordiais, desde a Antiguidade.

“Em paralelo ao surgimento do marketing, você teve o surgimento das grandes indústrias, principalmente automobilísticas. E elas começaram a se deparar com um problema central: vender o que e para quem”, explica Boschi.

A consolidação da disciplina se deu com a criação do curso de marketing nas universidades americanas de negócios. O Brasil foi influenciado em momentos diferentes, primeiro com a chegada da Ford, em 1919, e nos anos 1950, com a
criação das primeiras graduações: a ESPM, fundada em 1951, foi a pioneira no tema. O projeto, impulsionado pelos comunicadores Pietro Maria Bardi e Assis Chateaubriand, foi inspirado nos métodos de ensino da Universidade Columbia. Na sequência, a FGV lançou seu curso, baseado na proposta da Universidade de Michigan.

No marketing, tudo parece ser uma evolução: o termo 4Ps (produto, preço, promoção e praça) é um aprimoramento do
termo marketing mix, criado por Neil H. Borden em 1949. Em 1967, Philip Kotler, conhecido como “pai do marketing”, lançou o livro “Administração de Marketing” em coautoria com o professor Kevin Lane Keller. Kotler introduziu conceitos fundamentais como segmentação de mercado, estudo de comportamento do consumidor e posicionamento das marcas.

Para Boschi, o que mantém marcas vivas [como a longeva Granado] é um trabalho de marketing muito bem feito: “É a partir do desenvolvimento adequado das ferramentas que a marca se mantém ativa e com valor agregado ao longo das décadas”, conclui.