invista em startups
IPO

Arrival planeja listagem na Nasdaq e pode ser avaliada a US$ 5,4 bilhões

“Os veículos foram pensados para não exigir subsídios entre a transição para a eletricidade”, diz o presidente da Arrival, Avinash Rugoobur (esquerda)

23/11/2020 06h41
Por: Leonardo Brum
Fonte: Forbes
329
“Os veículos foram pensados para não exigir subsídios entre a transição para a eletricidade”, diz o presidente da Arrival, Avinash Rugoobur (esquerda)
“Os veículos foram pensados para não exigir subsídios entre a transição para a eletricidade”, diz o presidente da Arrival, Avinash Rugoobur (esquerda)

 

A Arrival, fabricante britânica de vans e ônibus elétricos acessíveis apoiada pela Hyundai Motor e pela BlackRock, está avaliando a proposta de aquisição da CIIG Merger Corp. para uma listagem da Nasdaq no início de 2021. O negócio pode aumentar sua avaliação para US$ 5,4 bilhões e transformar o fundador, Denis Sverdlov, em um bilionário.

Fundada em 2015, os planos de listagem pública da Arrival vêm na esteira de uma infusão de US$ 118 milhões da BlackRock em outubro e um investimento de US$ 110 milhões da Hyundai e Kia no início deste ano, que juntas aumentaram sua avaliação para US$ 3,5 bilhões, segundo a PitchBook. A união com a CIIG irá gerar US$ 660 milhões em dinheiro para a empresa sediada em Londres, incluindo US$ 260 milhões em Spac e US$ 400 milhões levantados com uma oferta de capital privado. As companhias Fidelity, Wellington Management, BNP Paribas e BlackRock também participaram da oferta.

A Arrival já está construindo suas duas primeiras “microfábricas” de US$ 50 milhões, uma na Inglaterra e outra na Carolina do Sul. Assim, a oportunidade de abrir o capital no primeiro trimestre do próximo ano significa que ela pode se concentrar em colocar os produtos no mercado dentro do prazo, em vez de continuar a arrecadar dinheiro. As ações da companhia serão comercializadas com o ticker ARVL.

“Teremos fluxo de caixa positivo em 2023. A quantia que estamos levantando agora é suficiente para sustentar o crescimento até que sejamos lucrativos”, disse Sverdlov à Forbes. “Ter os fundos garantidos e focar na entrega é uma estratégia melhor do que sempre escolher o caminho de conseguir mais fundos. Isso nos permitirá, como gestão, ter o foco nas operações.”

A empresa é a mais recente EV ou startup de tecnologia automotiva a se juntar à onda de financiamento Spac de 2020, que inclui fabricantes como Velodyne, Luminar e Aeva, a produtora de caminhões a hidrogênio Nikola e as companhias de veículos elétricos Fisker, Canoo e Lordstown Motors. Embora a Arrival ainda não esteja gerando receita, ela tem pedidos de 10 mil vans comerciais movidas a bateria da gigante de entregas UPS no valor de US$ 1 bilhão e espera ter anúncios de clientes para ônibus elétricos que serão construídos em sua fábrica na Carolina do Sul no final de 2021.

O que diferencia a Arrival da Tesla e de outros fabricantes de veículos elétricos é sua intenção de vender seus produtos a preços iguais aos dos veículos movidos a diesel e gasolina. Segundo a companhia, ela pode fazer isso porque seus veículos são muito mais leves devido à redução de peso de um chassi de alumínio e painéis da carroceria feitos de compostos proprietários. Isso resulta em baterias menores e mais baratas – a principal despesa para EVs. Os veículos elétricos já oferecem custos de combustível e manutenção mais baixos, de modo que um fabricante que possa vendê-los com paridade de preços poderia ter uma demanda substancial. Ainda, o novo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, prioriza os veículos elétricos e o trânsito para reduzir as emissões de carbono, podendo inclusive ser um suporte para o sucesso da Arrival.

“Esperamos que nossa abordagem de microfábrica e a enorme demanda que estamos vendo em nossos produtos resultem em um crescimento substancial da receita nos próximos quatro anos”, disse o CFO da Arrival, Tim Holbrow. “Projetamos cerca de US$ 1 bilhão de dólares de receita em 2022, crescendo para US$ 5,1 bilhões em 2023 e para mais de US$ 14 bilhões em 2024.”

“Os veículos foram pensados para não exigir subsídios entre a transição para a eletricidade”, diz o presidente da Arrival, Avinash Rugoobur. “Mas quando você adiciona um governo que apoia essa ideia, a velocidade de transição certamente será maior.”

Os planos de linha de veículos da empresa incluem vans de entrega de pequeno e grande porte, ônibus de transporte público de dez metros e pequeno veículo multiuso que pode ser equipado para transportar cargas ou passageiros. Cada uma de suas microfábricas, que serão construídas relativamente perto de seus clientes, será capaz de produzir 10 mil veículos comerciais ou mil ônibus ao ano.