invista em startups
Aquisição

Microsoft fez oferta de US$ 51 bilhões pelo Pinterest

A Microsoft teria abordado, recentemente, o Pinterest para tratar uma possível aquisição do serviço norte-americano de compartilhamento de imagens e mídia social por US$ 51 bilhões, divulgou o “Financial Times”.

12/02/2021 06h58
Por: Leonardo Brum
Fonte: Forbes
223
A Microsoft teria abordado, recentemente, o Pinterest para tratar uma possível aquisição do serviço norte-americano de compartilhamento de imagens e mídia social por US$ 51 bilhões, divulgou o “Financial Times”.
A Microsoft teria abordado, recentemente, o Pinterest para tratar uma possível aquisição do serviço norte-americano de compartilhamento de imagens e mídia social por US$ 51 bilhões, divulgou o “Financial Times”.

 

A Microsoft teria abordado, recentemente, o Pinterest para tratar uma possível aquisição do serviço norte-americano de compartilhamento de imagens e mídia social por US$ 51 bilhões, divulgou o “Financial Times”.

O acordo, que se concretizado representaria a maior aquisição da companhia fundada por Bill Gates até agora, confirma a estratégia da Microsoft de aquisições destinadas a acumular um portfólio de comunidades online ativas que poderiam ser executadas em sua plataforma de computação em nuvem Azure. O Pinterest – que possui mais de 320 milhões de usuários ativos – atualmente conta com a Amazon Web Services (AWS) como seu provedor de infraestrutura.

Entretanto, o jornal britânico revelou que a negociação entre as duas empresas não está em curso, uma vez que o Pinterest sinalizou sua preferência de continuar como uma empresa independente.

O valor de mercado da rede social de fotos cresceu mais de 600% durante a pandemia de Covid-19, e a empresa revelou, na semana passada, que adicionou 100 milhões de novos usuários em 2020 e viu um crescimento de 76% na receita trimestral ano a ano.

O alto preço das ações, sem dúvida, foi um obstáculo para a Microsoft, e uma parceria entre as duas empresas provavelmente teria atraído o escrutínio dos reguladores antitruste. Por US$ 51 bilhões, essa seria a maior aquisição da gigante de tecnologia até o momento – quase duas vezes maior do que a compra do LinkedIn em 2016 por US$ 26 bilhões.

A Microsoft revelou, pela primeira vez, seu interesse em adquirir uma proeminente empresa de rede social no ano passado, quando tentou comprar as operações norte-americanas do TikTok, o famoso aplicativo de vídeo chinês que está sob suspeita do governo dos Estados Unidos devido a preocupações de privacidade e laços com o estado Chinês.

A oferta da empresa pelo TikTok fracassou depois que a Oracle e o Walmart fecharam um acordo para comprar as operações do aplicativo nos EUA. Entretanto, reportagens recentes sugerem que o plano das duas empresas foi adiado indefinidamente enquanto Joe Biden revisa o esforço do governo anterior para lidar com possíveis riscos de segurança apresentados por empresas chinesas de tecnologia.

A Microsoft fez várias aquisições nos últimos anos. Além do LinkedIn, a empresa comprou o GitHub, um repositório de código que funciona como uma rede para desenvolvedores de software, e o “Minecraft”, um jogo online que, no ano passado, ultrapassou 131 milhões de usuários.