invista em startups
IPO

Jalles Machado mantém plano de investimentos apesar de menor preço de IPO

"Houve um desconto de 20%... (mas) a empresa mantém o plano de investimentos porque parte dos planos faremos com dívidas", disse o diretor financeiro da Jalles, Rodrigo Penna de Siqueira.

18/02/2021 06h44
Por: Leonardo Brum
Fonte: Reuters
155
© Reuters. Colheita de cana-de-açúcar
© Reuters. Colheita de cana-de-açúcar

 

A Jalles Machado, produtora de açucar e etanol recém chegada à B3, pretende manter planos de investimento em expansão de operações, apesar do recuo na movimentação financeira gerada por sua oferta inicial de ações (IPO) ante projeção preliminar, informou a companhia em teleconferência nesta quinta-feira.

Em cronograma publicado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) em janeiro, a empresa esperava movimentar cerca de 900 milhões de reais com o IPO, com base em um ponto médio da faixa de 10,35 reais a 12,95 reais por ação. No entanto, a oferta realizada no início de fevereiro saiu a 8,30 reais por papel e movimentou 741,5 milhões de reais.

"Houve um desconto de 20%... (mas) a empresa mantém o plano de investimentos porque parte dos planos faremos com dívidas", disse o diretor financeiro da Jalles, Rodrigo Penna de Siqueira.

Segundo ele, o cenário de mercado do setor também contribui para a realização de aportes na sucroalcooleira.

"Outro ponto importante é que, de lá pra cá, o mercado tem visto preços de açúcar e etanol mais altos e a geração de caixa da companhia vai ser até melhor que o esperado anteriormente", acrescentou o executivo.

No prospecto preliminar do IPO, divulgado em dezembro, a Jalles disse que usaria os recursos da oferta primária para comprar uma terceira unidade industrial e investir no aumento da produção de cana-de-açúcar nas duas usinas atuais, ambas em Goiás.

Siqueira esclareceu que, de acordo com o plano de expansão, haverá um incremento de 1 milhão de toneladas na moagem de cana por meio das plantas atuais, além de uma aquisição que trará por volta de 2 milhões de toneladas.

"A Jalles já tem alguns alvos mapeados e pretendemos fazer isso no decorrer da próxima safra, esse M&A, adicionando mais 2 milhões de toneladas para a companhia", estimou o diretor.

Ele disse que na próxima entressafra, entre outubro deste ano e março de 2022, serão feitos os principais investimentos industriais.

Quanto à expansão agrícola nas unidades da empresa, 800 mil toneladas de moagem virão através de ampliação de plantio e 200 mil toneladas por ganho de produtividade, com o auxílio de irrigação.

Serão plantados 800 hectares novos de cana em 2021, cerca de 3,6 mil hectares em 2022 e mais 3,6 mil hectares no ano seguinte. "Haverá um total de 8 mil hectares de expansão até a moagem de 2024", afirmou Siqueira.

Em balanço divulgado na última semana, a Jalles Machado informou que a moagem de cana acumulada nos nove primeiros meses da safra 2020/21 chegou a 5,3 milhões de toneladas, novo recorde e 3,6% acima do volume processado na temporada anterior.

O lucro líquido do terceiro trimestre da safra 2020/21 ficou em 50,6 milhões de reais, uma redução de 12% em relação ao mesmo período da temporada passada. No acumulado da safra, porém, o resultado líquido cresceu 31,8%, para 99,3 milhões de reais.