invista em startups
Marte

Nasa extrai oxigênio respirável de ar rarefeito de Marte

A missão da Nasa em Marte, com a sonda Perseverance, conseguiu o fato inédito de extrair oxigênio do CO2 do planeta vermelho

23/04/2021 07h05
Por: Leonardo Brum
Fonte: Forbes
248
A missão da Nasa em Marte, com a sonda Perseverance, conseguiu o fato inédito de extrair oxigênio do CO2 do planeta vermelho
A missão da Nasa em Marte, com a sonda Perseverance, conseguiu o fato inédito de extrair oxigênio do CO2 do planeta vermelho

 

A Nasa (Agência Aeroespacial dos Estados Unidos) realizou um novo feito extraterrestre inédito em sua missão mais recente a Marte: converter dióxido de carbono da atmosfera em oxigênio puro e respirável, anunciou a agência ontem (21).

A extração de oxigênio inédita foi realizada na última terça-feira (20) por um dispositivo experimental a bordo do Perseverance, jipe científico que pousou no Planeta Vermelho em 18 de fevereiro depois de uma viagem de sete meses.

Em sua primeira ativação, o instrumento, do tamanho de uma torradeira e batizado de Moxie, uma abreviação de Experimento de Utilização de Recurso de Oxigênio Marciano In-Situ, produziu cerca de cinco gramas de oxigênio, o equivalente a cerca de 10 minutos de ar respirável para um astronauta, disse a Nasa.

Embora a produção inicial tenha sido modesta, o feito assinalou a primeira extração experimental de um recurso natural do meio ambiente de outro planeta para uso direto de humanos.

“O Moxie não é só o primeiro instrumento a produzir oxigênio em outro mundo”, disse Trudy Kortes, diretora de demonstrações tecnológicas do Diretório de Missão de Tecnologia Espacial da Nasa, em um comunicado. Ela o classificou como a primeira tecnologia do tipo a ajudar missões futuras a “viverem dos frutos da terra” de outro planeta.

O instrumento funciona por eletrólise, que usa o calor extremo para separar átomos de oxigênio de moléculas de dióxido de carbono, que representa cerca de 95% da atmosfera marciana – o oxigênio só existe em Marte em quantidade ínfima. (Com Reuters)