invista em startups
TAE11

Lucro líquido da transmissora de energia Taesa atinge R$555,9 mi no 1º tri

A companhia destacou também a consolidação das aquisições de São João, São Pedro e Lagoa Nova, e a entrada em operação da concessão de Mariana em 2020.

06/05/2021 07h00
Por: Leonardo Brum
Fonte: Reuters
154

 

A transmissora de energia elétrica Taesa registrou lucro líquido de 555,9 milhões de reais no primeiro trimestre de 2021, um avanço de 42,1% na comparação anual, informou a companhia nesta quarta-feira em balanço financeiro.

A empresa, controlada pela estatal mineira Cemig e pela colombiana ISA, reportou lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) regulatório de 316,7 milhões de reais de janeiro a março, alta de 1,3% ano a ano, com margem de 82%, contra 83,9% no mesmo intervalo de 2020.

A Taesa disse em comunicado que o avanço no lucro líquido, calculado em termos de resultado IFRS, se deve principalmente aos maiores índices macroeconômicos registrados nos períodos comparados, com efeito do IGP-M que acumulou 6,2% neste primeiro trimestre.

A companhia destacou também a consolidação das aquisições de São João, São Pedro e Lagoa Nova, e a entrada em operação da concessão de Mariana em 2020. Além disso, houve aumento de 17,9% na equivalência patrimonial, resultado também dos maiores índices macroeconômicos, que impactaram positivamente a receita de correção monetária das participações.

Estes fatores compensaram a redução da margem com a implementação de infraestruturas em função dos menores investimentos em Janaúba na comparação anual, afirmou a empresa.

"(Também o) aumento de 35,8% das despesas financeiras líquidas, resultado das captações realizadas em 2020, aumento do IPCA e do menor volume de caixa, em função dos investimentos nos projetos em construção, associado a um menor CDI", acrescentou a Taesa sobre demais compensações.

A receita líquida totalizou 386,4 milhões de reais no primeiro trimestre, alta de 3,6% em relação ao mesmo período de 2020.

O índice de disponibilidade das linhas de transmissão foi de 99,96% e uma Parcela Variável (PV) de 4,3 milhões de reais (menos de 1% da RAP consolidada) no primeiro trimestre, este último apresentando uma melhoria de 32,7% contra janeiro a março de 2020.

(Por Nayara Figueiredo)