invista em startups
BRFS3

Ações da BRF saltam após Marfrig buscar aprovação do Cade para compra de fatia na empresa

Houve também rumores no mercado de que, durante o dia, a Marfrig teria continuado a ampliar sua participação na BRF, segundo a imprensa local.

02/06/2021 07h09Atualizado há 3 semanas
Por: Leonardo Brum
Fonte: Reuters
168
© Reuters. Sede do Cade, em Brasília (DF) 07/08/2017 REUTERS/Adriano Machado
© Reuters. Sede do Cade, em Brasília (DF) 07/08/2017 REUTERS/Adriano Machado

 

As ações da processadora de carnes suína e de frango BRF fecharam em alta de quase 10% nesta terça-feira, depois de a produtora de proteína bovina Marfrig ter solicitado formalmente ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) a aprovação de sua compra de quase um quarto dos papéis da BRF.

Houve também rumores no mercado de que, durante o dia, a Marfrig teria continuado a ampliar sua participação na BRF, segundo a imprensa local.

Em maio, a Marfrig anunciou que havia adquirido uma fatia de 24% das ações circulantes da BRF, acrescentando que não possui intenção de influenciar na estratégia ou gestão da companhia.

A decisão da Marfrig de buscar a análise do órgão antitruste à aquisição da fatia na BRF, maior processadora de carne de frango do Brasil e proprietária de marcas como a Sadia, ressalta a sensibilidade do investimento.

Uma porta-voz da Marfrig disse à Reuters nesta terça-feira que o pedido, que deve ser analisado em um procedimento "fast-track", foi realizado em 28 de maio e poderá ser processado em até 30 dias.

A companhia de carne bovina afirmou em 21 de maio que a operação, que ocorre quase dois anos após o fracasso de negociações para uma fusão das duas empresas, tem caráter passivo e visa diversificar seus investimentos.

A Marfrig, que gastou cerca de 800 milhões de dólares para construir a posição na BRF ao longo de alguns dias, disse que não possui planos imediatos de buscar representação no conselho da companhia.

Em e-mail enviado à Reuters, o Cade afirmou que até o momento não houve qualquer menção no Diário Oficial da União ao pedido feito pela Marfrig ao órgão.

Também nesta terça-feira, o jornal O Estado de S. Paulo e o site Brazil Journal noticiaram a existência de rumores generalizados entre operadores que indicavam que a Marfrig estaria ampliando sua posição na BRF durante o pregão.

Ambas as empresas preferiram não comentar o assunto.

As ações ordinárias da BRF fecharam em alta de 9,55%, apurando o maior ganho no índice Ibovespa. Já os papéis ordinários da Marfrig tiveram alta de 0,6%.

(Reportagem adicional de Gram Slattery)