invista em startups
IGTA3

Iguatemi terá reorganização societária, abre sucessão de presidente

A operação implica que a Iguatemi deixará de ter ações listadas no Novo Mercado da B3, segmento de mais alta governança corporativa, já que a nova empresa a ser formada terá units listadas no nível 1.

08/06/2021 06h31
Por: Leonardo Brum
Fonte: Reuters
55
© Reuters. Shopping Iguatemi em São Paulo (SP) 16/08/2018 REUTERS/Nacho Doce
© Reuters. Shopping Iguatemi em São Paulo (SP) 16/08/2018 REUTERS/Nacho Doce

 

A administradora de shopping centers Iguatemi anunciou nesta segunda-feira que seu conselho de administração aprovou proposta de reorganização societária pela qual a empresa será incorporada por sua controladora, o Grupo Jereissti.

A operação implica que a Iguatemi deixará de ter ações listadas no Novo Mercado da B3, segmento de mais alta governança corporativa, já que a nova empresa a ser formada terá units listadas no nível 1.

Segundo comunicado conjunto ao mercado, apesar disso, a empresa terá direitos de acionistas e práticas de governança "similares" ao do Novo Mercado. O free float esperado da nova empresa a ser criada na reorganização, Iguatemi SA, será de 45%.

Pelo proposta apresentada, os acionistas minoritários da Iguatemi têm que aprovar a saída da companhia do Novo Mercado abrindo mão da exigência de uma oferta pública de recompra.

A companhia também anunciou que o conselho de administração aprovou início do processo de sucessão do atual presidente-executivo, Carlos Jereissati. Para o seu lugar, o nome da atual vice-presidente financeira, Cristina Betts, foi indicado para ocupar a função a partir de 1 de janeiro de 2022. Betts também será presidente da Iguatemi SA, caso a reorganização seja concluída.

"As administrações das companhias acreditam que essa nova estrutura, concentrada na Iguatemi SA, acarretará na redução significativa das atuais despesas gerais e administrativas, em função da redução da duplicidade de órgãos deliberativos, além de proporcionar a realização de créditos e outros benefícios fiscais", afirmaram as empresas no comunicado ao mercado.