invista em startups
Cripto

Bitcoin cai abaixo de US$ 60 mil com peso de regulações nos EUA e repressão na China

A China também anunciou que consideraria medidas punitivas, como preços mais altos de energia, sobre empresas que desrespeitarem as regras.

17/11/2021 06h49
Por: Leonardo Brum
Fonte: Investing
114

 

O preço do Bitcoin caiu para menos de US$ 60.000 na terça-feira pela primeira vez desde 1º de novembro, com a aprovação do projeto de infraestrutura dos EUA e uma nova repressão à mineração de criptomoedas na China pesando sobre a maioria das principais criptomoedas.

Projeto de Infraestrutura dos EUA

Ontem à noite, o muito falado projeto de lei de infraestrutura dos EUA foi sancionado pelo presidente Joe Biden. A legislação incluiu novas regras para a indústria de criptomoedas, expandindo os requisitos de relatórios para corretores.

De acordo com a nova lei, as transações de ativos digitais acima de US$ 10.000 devem ser relatadas ao Internal Revenue Service (IRS). O destinatário da transação precisará verificar as informações pessoais do remetente no prazo de 15 dias após a transação.

O novo requisito de relatório está programado para entrar em vigor a partir de 2024.

Repressão à mineração na China

Pesando ainda mais sobre as criptomoedas na terça-feira, houve comentários adicionais vindos da China sobre a mineração de criptomoedas. A Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma planeja reprimir ainda mais a mineração de Bitcoin em escala industrial, bem como qualquer envolvimento de empresas estatais.

A China também anunciou que consideraria medidas punitivas, como preços mais altos de energia, sobre empresas que desrespeitarem as regras.

Não é a primeira vez que a China tenta controlar a indústria de criptomoedas. Em junho deste ano, a China disse aos bancos e outras instituições financeiras que parassem de facilitar as transações e proibiu a mineração de moedas.

Em setembro, a China anunciou que todas as transações de criptomoedas seriam ilegais.

Dados da Universidade de Cambridge mostraram que o hashrate da rede Bitcoin na China continental foi para zero em julho, quando os mineiros se mudaram do país. Anteriormente, a participação da China Continental no hashrate global era de 75%.

Não está claro exatamente quais são os motivos por trás da proibição geral da China de criptomoedas, mas alguns sugeriram que o desenvolvimento da China de sua própria Moeda Digital do Banco Central (CBDC) pode ser o motivo pelo qual a China deseja limitar outras transações de criptomoedas.

Imagem Técnica

Depois de cair para US$ 60.000, o Bitcoin caiu para sua média móvel de 50 dias em torno de US$ 58.750 antes de encontrar suporte e voltar para US$ 60.000.

Uma quebra abaixo desse nível traz suporte em torno de US$ 58.200, que é o mínimo observado em 27 e 28 de outubro. Abaixo disso, os US$ 57.800 poderiam atuar como suporte, pois representam o nível de 61,8% fib desde a baixa de setembro até a alta de novembro.

“O Bitcoin rompeu o suporte de US$ 60 mil, o que pode apontar para mais perdas, a menos que possa superar a resistência aos números redondos”, escreve a investidora Victoria Scholar no Twitter. “Embora esta pareça ser a maior liquidação de um dia desde setembro, é apenas uma mínima de 3 semanas, com uma queda de 33% necessária para testar o piso de setembro.”

Às 08h47, o Bitcoin voltou a ser cotado acima de US$ 60 mil e era negociado com queda de 8,23% a US$ 60.503,3.