invista em startups
Carreira

Camila Coutinho: “antes do dinheiro vem a pergunta: isso faz sentido?”

Gestora de sua marca, da plataforma Garotas Estúpidas e da GE Beauty, a empreendedora reforça a busca pelo propósito e dá dicas neste Dia do Empreendedorismo Feminino.

19/11/2021 07h07
Por: Leonardo Brum
Fonte: Forbes
164
Camila Coutinho: “Eu sei que delegar é muito importante, mas sei que as pessoas nunca vão pensar com a minha cabeça” (Crédito: Juliana Coutinho)
Camila Coutinho: “Eu sei que delegar é muito importante, mas sei que as pessoas nunca vão pensar com a minha cabeça” (Crédito: Juliana Coutinho)

 

O que vem primeiro? A criadora de conteúdo? A visionária que trouxe inovação ao mundo da moda quando ainda mal se falava em blogs? Ou a CEO de uma marca de beleza baseada em propósito e tecnologia? Talvez, Camila Coutinho nunca responda, de fato, a tantas perguntas, a linha tênue entre a pessoa, as marcas e os negócios torna-se cada vez mais complexa. Mas isso pouco importa, de fato, para Camila, independentemente das três marcas que ela cuida: sua própria, a plataforma Garotas Estúpidas e a GE Beauty, o mais importante é basear todas em propósito.

Sim, falar de propósito atualmente pode até parecer um conceito batido, mas Camila dá exemplos práticos de como aplicá-los neste Dia do Empreendedorismo Feminino. “Propósito une nossas três marcas e ele se define em devolver. Nada do que eu pego para fazer é apenas por fazer. Sempre vem primeiro a pergunta, antes do dinheiro: isso faz sentido? É legal? Eu gosto disso? Eu me orgulho disso? Sim. Então vamos em frente.”, afirma Camila reforçando que se a primeira pergunta não for respondida por um sim não faz sentido responder a segunda.

“Esse devolver é uma coisa que já, já, espero que em muito breve, seja padrão, seja default para as empresas e para as personalidades também. E, nesse sentido, a gente conseguiu colocar em prática, por exemplo, o GE Formando Líderes nesse ano. A ideia é que essa agenda de empoderar mulheres através do empreendedorismo seja fixa e que esse projeto rode o Brasil inteiro”, explica, destacando a importância de que as empreendedoras se unam e fortaleçam o ecossistema como um todo.

Para Camila, ser uma mulher empreendedora no Brasil se define em: lidar com os desafios de empreender como a burocracia, por exemplo, e também com o próprio fato de ser mulher. “Ser uma líder mulher, às vezes faz com que tenhamos certas atitudes mais firmes que, se um homem tivesse, não seria tão questionado. Às vezes as pessoas colocam a gente como ‘nossa, que grossa’, sendo que estamos simplesmente sendo firme em um momento que se faz necessário. Mas graças a Deus não é uma coisa que me incomoda tanto, me incomoda mais as burocracias e as dificuldades práticas”, pontua.

Parte superior do formulário

Parte inferior do formulário

O poder de mudança da liderança

Nesta trajetória de mais de 15 anos desde a criação do Garotas Estúpidas, em 2006, Camila explica que uma das principais mudanças em sua forma de pensar ocorreram de forma gradual, como um processo. “Tenho muito mais clareza do que eu quero a longo prazo, no meu futuro. Isso me dá segurança para dizer alguns nãos. Definir as coisas que eu vou fazer, onde vou colocar meu tempo, minha energia, minha disponibilidade. E isso exige muita maturidade. Gerir pessoas também é uma missão gigante. Um dos maiores desafios de empreender, eu diria, é lidar com pessoas e reter talentos. Isso leva a ter uma maturidade, pede um autoconhecimento. A gente precisa se conhecer para conseguir ser um bom líder.”

“Eu sei que delegar é muito importante, mas sei que as pessoas nunca vão pensar com a minha cabeça, porque eu sou eu. Isso é um vício de quem fez muita coisa sozinha durante muito tempo. Então, a profissão influenciadora, e na minha época, quando eu comecei era blogueira, era eu e Deus. Eu fazia praticamente tudo. Com o tempo foi investimento em pessoas, aumentando o time. Hoje somos em 20 pessoas nas duas empresas. Mas cada pessoa é uma pessoa, cada cabeça é um mundo, cada uma tem suas características, e a pessoa nunca vai raciocinar exatamente como você e isso é ótimo”, afirma Camila.

Para as mulheres que buscam dicas de como seguir Camila reforça: “se eu pudesse voltar no tempo eu diria: segue em frente. Eu não sou uma pessoa de me arrepender. Tudo eu acho que tem um porquê. Eu confio muito nisso, então acho que isso me dá tranquilidade. Então, se uma coisa não acontece, acho que não era pra acontecer mesmo e porque vem outra coisa melhor. Eu sigo assim.”

O futuro da GE Beauty e o que esperar do live-commerce

Com pouco mais de um ano de existência, a GE Beauty vive um processo importante de consolidação. “O GB está numa fase muito legal de expansão. Esse primeiro ano, de lançamento, foi de muito aprendizado, como eu já tinha imaginado que seria. Mas a gente fica muito feliz de já ter ocupado um lugar muito firme no segmento de beleza customizada, e de ser uma marca de beleza que fala com uma linguagem muito mais carinhosa e atual sobre o assunto. A gente vê as nossas consumidoras apaixonadas pela marca, o que é muito precioso”, comememora.

Sobre live-commerce, uma das principais tendências para a Black Friday, e uma tecnologia da qual Camila entende muito, ela ainda espera uma adesão maior ao formato. “Eu fico até curiosa pra entender por que o live-commerce ainda não foi trazido para o Brasil com mais popularidade, porque na China isso já é muito grande, tudo se faz por esse canal, é como se fosse uma loja mesmo. Eu acredito muito nesse modelo e acho que também vai ser algo default e as pessoas vão contratar vendedores para as lojas considerando esse skill de vender online também porque o ambiente de venda digital está ficando maduro numa velocidade muito grande. Eu acho que quando chegar vai ser avassalador.”