invista em startups
Laser

Turismo cresce em São Paulo desde maio; confira mais de 10 atrações

“Em outubro, o Taste of São Paulo, festival gastronômico que aconteceu no Clube Hípico Santo Amaro, teve público acima do esperado e ótima avaliação, apesar das chuvas em alguns dias”, avaliou o boletim do Observatório do Turismo de novembro.

22/11/2021 06h40Atualizado há 1 semana
Por: Leonardo Brum
Fonte: Bloomberg Linea
89

 

A indústria do turismo instalada na maior capital do país deve fechar novembro com crescimento pelo 7º mês consecutivo, após a segunda onda da Covid-19, de acordo com entidades do setor. São Paulo voltou a ser movimentada neste quarto trimestre, com longas filas para entrada em museus, bares, restaurantes, teatros e clubes. Novas atrações no ramo do lazer e entretenimento foram lançadas, bem como espaços públicos, como o Parque Augusta, na região central.

No começo de dezembro, será divulgado o IMAT-SP (Índice Mensal de Atividade do Turismo de São Paulo), referente ainda ao mês de outubro. Representantes do setor consideram a manutenção da tendência positiva nos últimos meses devido aos feriados, datas de intensa frequência de visitantes na cidade, e aos eventos especiais no período, como a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, no mês passado, e o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1, no último fim de semana.

“Em outubro, o Taste of São Paulo, festival gastronômico que aconteceu no Clube Hípico Santo Amaro, teve público acima do esperado e ótima avaliação, apesar das chuvas em alguns dias”, avaliou o boletim do Observatório do Turismo de novembro.

Transporte e hotelaria

Em setembro, o IMAT-SP registrou a quinta alta seguida, influenciado pelo feriado da Independência do Brasil. O indicador é do Conselho de Turismo (CT) da FecomercioSP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo), realizado em parceria com a SPTuris (São Paulo Turismo), empresa de turismo e eventos da cidade de São Paulo, ligada à Secretaria de Governo Municipal da

O indicador é composto por cinco variáveis que têm os mesmos pesos para a criação do índice. São analisadas as movimentações de passageiros dos aeroportos de Congonhas e Guarulhos, assim como dos passageiros das rodoviárias, a taxa média de ocupação hoteleira na cidade, o faturamento do setor do turismo na capital e o estoque de emprego nas atividades exclusivas do turismo. O índice tem sua base no número 100, usada como referência de comparação em janeiro de 2020.

Em setembro, o número-índice ficou em 64,7 (4,7% acima do registrado em agosto). Em relação ao mesmo período de 2020, houve crescimento de 48,2%. Todas as variáveis analisadas pelo indicador registraram aumento, com destaque para a movimentação de passageiros nas rodoviárias (alta de 9,1%, na comparação mensal, e 44%, no contraponto anual). Devido aos reajustes das passagens aéreas, há um movimento de substituir a viagem de avião pela de ônibus, entre estados vizinhos. Foram 782 mil pessoas circulando nos terminais rodoviários durante o mês, o maior número desde janeiro.

O boletim do Observatório do Turismo da SPTuris de novembro confirmou a tendência captada pelo IMAT-SP, mas fez a ressalva sobre a piora do ambiente econômico. “A economia do turismo paulistano vem se recuperando lentamente, mas com consistência. Certamente, até o verão, esse crescimento se manterá, embora para o próximo ano o cenário esteja ainda bastante incerto, com inflação elevada, taxas de juros altas e uma possível recessão”, analisa a publicação, destacando ainda o potencial de eventos como a Oktoberfest São Paulo e 1ª Expo Internacional Dia da Consciência Negra, que marcam a retomada de atividades presenciais com força na cidade.

Com o retorno dos visitantes à terra da garoa, eis a questão com que se depara o turista: o que há de novo na cidade mais populosa do Brasil? Bloomberg Línea consultou a SPTuris, que informou não ter levantamento sobre as novas atrações. Já a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo destacou roteiros como o Sampa Sky, Novo Vale do Anhangabaú, Exposição Rita Lee no MIS-SP e Espaço Priceless no rooftop do edifício Alexandre Mackenzie. Para completar a lista, Bloomberg Línea visitou, desde julho, outros pontos conhecidos da cidade.

Confira 10 atrações da cidade

#1 Baleia da Faria Lima

São Paulo vive a fase das novas esculturas de animais. Se na B3 no centro histórico há um touro dourado de fibra de vidro, oco, sensação de um plástico duro, na zona sul, na av. Faria Lima, há uma baleia metálica de 20 metros de comprimento no B32, recém-inaugurado edifício, nova sede do Facebook no Brasil, no cruzamento com a rua Leopoldo Couto Magalhães. “As baleias mergulham a 3 mil metros de profundidade, assim como nós, seres humanos, mergulhamos em nós mesmos em busca de sentido, explorando nosso subconsciente. Quase extintas pela caça predatória, tornaram-se um símbolo do respeito à natureza, da preservação ambiental e da superação”, explica texto do Teatro B32, novo teatro da capital, que se apresenta como “primeiro espaço Gala Venue na América Latina”.

#2 Parque Augusta

Inaugurado no início de novembro, é uma área de respiro no bairro central da Consolação com cerca de 24 mil m², ocupando parte do quarteirão entre as ruas Augusta, Caio Prado e Marquês de Paranaguá. As construtoras Cyrela e Setin planejaram erguer edifícios, mas um movimento de moradores fez a prefeitura negociar um acordo e preservar o verde. Virou a nova praia do paulistano com gramado para descanso, redário, cachorródromo e trilhas

#3 Touro de Ouro

É uma escultura construída sobre uma estrutura modular metálica, em fibra de vidro de alta densidade, com pintura dourada, foi inaugurado em frente ao prédio da antiga Bovespa, atual B3, na rua XV de Novembro, no centro histórico, em meio à controvérsia de ter virado alvo de pichações. A Bolsa diz buscar a revitalização da região, ainda repleta de lojas fechadas. Pedestres costumam fazer selfie diante do símbolo da prosperidade (e da polêmica).

#4 Sampa Sky

O mirante com chão de vidro, a 150 metros de altura (42º andar), foi inaugurado em agosto, com vista para o viaduto Santa Ifigênia no Vale do Anhangabaú, e fica no 42º andar do edifício Mirante do Vale, edifício que era o mais alto da capital paulista, mas foi superado recentemente por um novo empreendimento no Tatuapé. O novo mirante atrai influenciadores digitais interessados em produzir imagens instagramáveis do centro histórico

# 5 Novo Vale do Anhangabaú

Foi reaberto em julho, com intervenções como painéis em grande formato, com retratos de profissionais da linha de frente de combate à Covid-19, além de ilustrações de pessoas com máscaras nas bandeirolas, penduradas nos postes de iluminação. Totens expositivos estão espalhados pelo Vale. Grupos teatrais se apresentam neste tradicional point de skatistas e patinadores, principalmente nos fins de semana

# 6 Espaço Priceless

É um complexo gastronômico com foco na cozinha brasileira inaugurado em outubro no edifício Alexandre Mackenzie, de 1929, no rooftop do Shopping Light, centro histórico, vizinho do Vale do Anhangabaú. É composto por um restaurante, um bar, um espaço de intervenções artísticas, um ponto de café e um rooftop com vista para o Theatro Municipal e para o icônico Edifício Martinelli, ex-arranha-céu mais alto da América Latina

# 7 Jurassic Park

O complexo gastronômico Jurassic Park abriu em setembro no Itaim Bibi, com o aval da Universal Studios. Ocupando uma área de 2 mil m², em quatro andares, o espaço reúne três restaurantes, incluindo a hamburgueria oficial do filme, além de uma loja de colecionáveis, atraindo principalmente geeks fãs do filme clássico de ficção científica “Jurassic Park”, fenômeno de bilheteria de 1993, dirigido pelo premiado cineasta Steven Spielberg

# 8 Rita Lee no MIS

Exposição Rita Lee foi aberta no MIS-SP (Museu da Imagem e do Som) em setembro e fica em cartaz até 20 de fevereiro de 2022. A exposição histórica teve o material original selecionado pela própria artista e João Lee, seu filho e curador da exposição. A mostra ilustra a carreira e a vida de Rita, que foi chamada de “a mais completa tradução” de São Paulo pelo cantor Caetano Veloso em “Sampa”. É uma das artistas mais plurais do Brasil

# 9 Novo Largo da Batata

Em Pinheiros, bairro mais antigo da capital, o Largo da Batata virou, em outubro, uma galeria a céu aberto de arte urbana com um festival que empilhou contêineres transformados pelo grafite, em uma região que se valoriza ao redor do Faria Lima Plaza, torre comercial de design arrojado. A ciclovia que o norte e sul da avenida Faria Lima desbrava as várias paisagens do principal corredor financeiro do país. Para os boêmios, um point é a pequena rua Guaicuí, com seus bares animados principalmente de quinta a domingo, nos arredores do Largo

# 10 Mirante da Paulista

O Mirante do Sesc Paulista reabriu, em outubro, com ar renovado, no 17º andar, onde ficam o café e a plataforma de observação com uma vista famosa da Avenida Paulista, incluindo a obra do muralista Eduardo Kobra em homenagem ao célebre arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer, que projetou Brasília e assina criações modernistas paulistanas como o Edifício Copan , a Marquise e o Auditório Ibirapuera, o Memorial da América Latina, entre outros projetos

# 11 Torres da Marginal Pinheiros

Em direção à zona sul da capital paulista, a Marginal Pinheiros exibe uma muralha de edifícios e torres modernas, algumas ainda sendo erguidas em ritmo acelerado. Na avenida das Nações Unidas, encontram-se, por exemplo, as torres do Parque da Cidade, próximo à estação Morumbi, na Chácara Santo Antônio, dando ao visitante a visão das inovações arquitetônicas dessa parte privilegiada da capital em serviços para o público de alta renda.